Técnicos Tributários realizam grande assembleia geral

  • 1
  • 1
  • 1

 

Técnicos Tributários de diversas regiões do Estado participaram em grande número de assembleia geral  realizada nesta sexta-feira, 06, no auditório da AIAMU.

A falta de tratamento isonômico entre as carreiras na Secretaria da Fazenda e as dificuldades no andamento dos pleitos dos Técnicos Tributários, que já haviam sido acordados em conjunto com outras entidades e equipe diretiva da Sefaz, nortearam as discussões.

Foram debatidas estratégias de ação dos Técnicos Tributários em relação ao tratamento diferenciado na Secretaria da Fazenda entre as categorias.

O presidente do Afocefe, Carlos De Martini Duarte, apresentou um panorama das questões que o Sindicato está encaminhando junto ao Governo e relatou as diversas reuniões realizadas  com a administração estadual, Secretaria da Fazenda e Receita Estadual  para dar andamento aos pleitos dos TTREs. 

O diretor Guilherme Campos expões os ataques ao serviço público e aos servidores por meio das PECs em tramitação na Assembleia Legislativa e relatou a mobilização do Afocefe para reverter a tentativa de retirada de direitos já conquistados.

A necessidade imediata de policiais militares para dar suporte na segurança às atividades de fiscalização nos Postos Fiscais e Turmas Volantes e a proposta do Afocefe apresentada ao Governo para solucionar este impasse foi tratada pelos Técnicos Tributários.

Foi debatido ainda os rumos do serviço público, a importância dos sindicatos na defesa dos direitos dos seus representados e a necessidade de resistência e luta dos servidores públicos para reverter este momento de extrema dificuldade. De Martini reforçou que os problemas financeiros do estado são devido a falta de uma política de fiscalização que gere ingresso real de receita e não incentive a sonegação. ‘’Entendemos que não haverá melhorias para os servidores sem que o Estado atinja o equilíbrio fiscal. E isso se dará com aumento de receita própria, por meio de fiscalização ostensiva, preventiva e educativa, complementada pela fiscalização virtual’’, apontou De Martini.

 

Tweet